AgnoCafe - O Site do Cafeicultor
Assunto: Categoria de noticia: Data:
Imprimir notícia

O que a eleição de Bolsonaro pode significar para a economia brasileira?


Por Arena do Pavini
A divulgação das últimas pesquisas eleitorais teve significativo impacto no mercado financeiro, por indicar o aumento das chances de vitória do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na eleição presidencial. O dólar caiu abaixo de R$ 4,00 e o Índice Bovespa voltou para os 80 mil pontos, bem como os juros futuros recuaram.

Para a MCM Consultores, parte desta recente movimentação dos preços dos ativos reflete a percepção de relevante parcela dos agentes econômicos de que as perspectivas para a economia brasileira melhorarão caso Bolsonaro seja eleito, ou de que, ao menos, ele merece o benefício da dúvida. Outra parte está relacionada, como é usual, a ajustes de posição no mercado financeiro.

Na avaliação da MCM, se Bolsonaro for eleito e o movimento de valorização de ativos financeiros tiver continuidade, a conjuntura econômica será, naturalmente, beneficiada no curto prazo. Por exemplo, uma valorização substantiva do Real reduzirá a inflação de preços regulados, levará o IPCA a encerrar o ano mais perto de 4,0% do que de 4,5%, terá efeito positivo sobre as expectativas para a inflação em 2019 e, dessa maneira, permitirá ao Comitê de Política Monetária (Copom) manter a Selic estável em suas próximas reuniões, diz a consultoria.

Portanto, tomando a taxa de câmbio e a Selic como referência, é possível que a eventual eleição de Bolsonaro leve a conjuntura econômica a evoluir inicialmente em um “cenário de retomada”. Em princípio, porém, tal coincidência deverá ter vida relativamente curta, alerta a MCM.

A consultoria explica que o “cenário de retomada” foi construído com base na hipótese de eleição do candidato mais familiarizado e comprometido com uma ampla agenda de reformas econômicas — essenciais para a sustentabilidade fiscal e para a melhora do ambiente de negócios no país — e mais capacitado a maximizar as chances de aprovação de reformas complexas e/ou impopulares no Congresso. “E não vemos no momento o desenvolvimento das condições necessárias para a materialização deste cenário”, diz a consultoria.

Primeiro, porque, em que pese a inevitável simplificação do debate econômico durante uma campanha eleitoral, o que tem sobrado desta na maior parte do tempo são soluções simplistas e em alguns casos irreais para os intrincados desafios econômicos a serem enfrentados pelo país. Segundo, porque, mesmo contando com a legitimidade proporcionada pela própria eleição, sem repartir poder, o presidente eleito terá grandes dificuldades em promover mudanças relevantes na gestão pública e aprovar reformas no Congresso. Terceiro porque, a despeito das condições favoráveis que tendem a cercar o início de novos governos, a escolha das prioridades e da estratégia de votação das reformas exigirá habilidade política que poucos políticos possuem.

Por fim, a MCM acredita que a própria melhora das condições financeiras no início de um governo “abençoado pelo benefício da dúvida” poderá enfraquecer o já incerto grau de convicção do novo presidente em relação a diversos temas controversos, que podem acabar sendo deixados de lado.

Em resumo, diz a MCM, a despeito da recente melhora do ambiente financeiro, o país segue distante do “cenário de retomada”. Portanto, para o médio prazo, o cenário principal é o cenário de estagnação, mesmo com a eventual vitória de Jair Messias Bolsonaro, conclui a consultoria.

Fonte: Investing

Comentarios

Inserir Comentário
Contrato Cotação Variação
Julho 93,30 - 0,20
Setembro 95,50 - 0,20
Dezembro 99,10 - 0,20
Contrato Cotação Variação
Julho 1.368 - 1
Setembro 1.388 - 1
Novembro 1.411 - 1
Contrato Cotação Variação
Julho 110,15 - 0,25
Setembro 114,90 - 0,25
Dezembro 116,35 - 0,25
Contrato Cotação Variação
Dólar 4,0160 - 0,78
Euro 4,5022 - 0,42
Ptax 4,0322 - 0,47
  • Varginha
    Descrição Valor
    Duro/riado R$ 375,00
    Rio 25% R$ 345,00
    14/15/16 R$ 428,00
    Safra 18/19 15% R$ 405,00
  • Três Pontas
    Descrição Valor
    Peneira 17/18 R$ 445,00
    Pen. 14/15/16 R$ 428,00
    Safra 18/19 15% R$ 405,00
    Cereja R$ 422,00
  • Franca
    Descrição Valor
    Futuro 2020 R$ 430,00
    Safra 18/19 17% R$ 403,00
    Safra 18/19 25% R$ 395,00
    Safra 17/18 20% R$ 385,00
  • Patrocínio
    Descrição Valor
    Futuro 2020 R$ 430,00
    Futuro 2021 R$ 450,00
    Safra 18/19 16% R$ 403,00
    Safra 18/19 22% R$ 397,00
  • Garça
    Descrição Valor
    Safra 18/18 15% R$ 400,00
    Safra 18/19 20% R$ 395,00
    Futuro 2020 R$ 425,00
    Futuro 2021 R$ 445,00
  • Vitória
    Descrição Valor
    Conilon T. 6 R$ 290,00
    Conilon T. 7 R$ 284,00
    Conilon T. 7 R$ 278,00
  • Guaxupé
    Descrição Valor
    Duro/riado R$ 375,00
    Safra 18/19 15% R$ 402,00
    Pen 14/15/16 R$ 416,00
    Safra 18/19 20% R$ 397,00
  • Preços OIC
    Descrição Valor
    Compostos OIC R$ 94,00
    Colombianos R$ 125,26
    Outros Suaves R$ 121,66
    Brasileiros R$ 93,30
    Robustos R$ 71,19
  • Indicadores
    Descrição Valor
    Agnocafé R$ 405,00
    Cepe Arábica R$ 392,17
    Cepea Conilon R$ 287,72
  • Preço da Abic
    Descrição Valor
    Normal/kg R$ 19,86
    Superior/kg R$ 34,14
    Gourmet/kg R$ 56,45
Nedstat Basic - Free web site statistics