AgnoCafe - O Site do Cafeicultor
Assunto: Categoria de noticia: Data:
Imprimir notícia

Nevasca de 1975: Curitiba vestida de noiva e o cafezal devastado


VEJA de 23 de julho de 1975

VEJA de 23 de julho de 1975 (Reprodução/VEJA)

Curitiba amanheceu vestida de noiva, festejava a Rádio Iguaçu, em 17 de julho de 1975. Nevara da madrugada até as 8 horas, e depois novamente das 10 horas até depois do meio-dia. O lirismo do locutor contrastava com a desolação no campo: a chamada ‘geada negra’, que se seguiu à neve, poria a perder a preciosa safra de café do Paraná. ‘Dos 800 milhões de pés de café do Estado, não acredito que tenham sobrado 1000’, lamentava a VEJA daquela semana o presidente do Sindicato Rural de Cornélio Procópio, Wilson Baggio.

Alheios ao dramas dos agricultores, moradores de tantas cidades atingidas pela onda de frio aproveitaram para registrar o raro fenômeno – em Gramado (RS), esgotou-se o estoque de filmes fotográficos – e se divertir. “Bonecos de neve brotaram abundantes, embora quase todos revelassem inexperiência nesse tipo de escultura”, observava VEJA. Em Caixas do Sul (RS), a emissora local ofereceu um prêmio ao melhor boneco, e o concurso se arrastou por horas. Na mesma cidade, Juventude e Internacional de Santa Maria. fizeram ‘a primeira partida de futebol sobre a neve’ no Brasil, com portões abertos, para ninguém perder o espetáculo.

Pipocavam guerras de bolas de neve, e algumas terminaram mal. Na capital paranaense, quatro pessoas foram presas. “É que objetos vários encorpavam as bolotas brancas (até uma maçaneta foi encontrada) e pessoas se machucavam (uma senhora foi parar no pronto-socorro)”, informava a reportagem.

Não é nada comum nevar em Curitiba. Antes de 1975, a última vez tinha sido em 1928. Na memória de uma curitibana ouvida por VEJA, “todos brincavam como hoje”. Depois de 75, só voltaria a nevar na capital em 2013 – e não em 2017, apesar da expectativa criada com a onda de frio que atingiu o país esta semana.

A frente fria também fez nevar na Serra Gaúcha e na Catarinense em 1975. Antes, como agora, o fenômeno atrai os turistas. Mas se hoje são milhares, nos anos 1970 VEJA registrava a presença de apenas cerca de cem em São Joaquim, a cidade sempre lembrada quando se trata de torcer pela neve. O prefeito torcia contra. Temia pelo destino das 100 000 cabeças de gado da região, em busca penosa por alimento.

Clique para ler a reportagem na íntegra.

Comentarios

Inserir Comentário
Contrato Cotação Variação
Março 236,00 - 2,90
Maio 236,35 - 2,90
Julho 235,55 - 2,90
Contrato Cotação Variação
Março 2.194 - 24
Maio 2.169 - 22
Julho 2.160 - 21
Contrato Cotação Variação
Março 292,75 0
Maio 291,05 0
Setembro 292,95 0
Contrato Cotação Variação
Dólar 5,4410 0
Euro 6,1210 0
Ptax 5,4383 0
  • Varginha
    Descrição Valor
    Rio com 30% R$ 1440,00
    Duro/riado R$ 1500,00
    Safra 20/21 15% R$ 1610,00
    Novíssimo 25% R$ 1590,00
  • Três Pontas
    Descrição Valor
    Rio com 25% R$ 1440,00
    Duro/riado 25% R$ 1500,00
    Pen. 14/15/16 R$ 1640,00
    Novíssimo 15% R$ 1610,00
  • Franca
    Descrição Valor
    Safra 20/21 10% R$ 1630,00
    Safra 20/21 15% R$ 1610,00
    Safra 20/21 20% R$ 1600,00
    Cereja R$ 1660,00
  • Patrocínio
    Descrição Valor
    Riado/rio 25% R$ 1500,00
    Novíssimo 10% R$ 1630,00
    Safra 20/21 15% R$ 1610,00
    Cereja R$ 1660,00
  • Garça
    Descrição Valor
    Duro/riado R$ 1480,00
    Escolha 96% R$ 1080,00
    Safra 20/21 20% R$ 1600,00
    Novissímo 25% R$ 1580,00
  • Guaxupé
    Descrição Valor
    Rio com 30% R$ 1450,00
    Duro/riado R$ 1500,00
    Novíssimo 15% R$ 1610,00
    Novíssimo 25% R$ 1590,00
  • Preços OIC
    Descrição Valor
    Brasileiros R$ 1675,00
    Compostos OIC R$ 1473,00
    Colombianos R$ 2127,00
    Outros Suaves R$ 1977,00
    Robustos R$ 789,00
  • Indicadores
    Descrição Valor
    Cepea Arábica R$ 1493,25
    Cepea Conilon R$ 835,35
    Agnocafé 20/21 R$ 1610,00
  • Linhares
    Descrição Valor
    Conilon T. 6 R$ 846,00
    Conilon T. 7 R$ 838,00
    Conilon T. 7/8 R$ 832,00